Underwater sculptures emerge from Thames in climate change protest

.The Rising Tide, by British sculptor Jason deCaires Taylor.

The Rising Tide, by British sculptor Jason deCaires Taylor. The four ghostly statues will only be visible twice a day at low tide. Photograph: Ben Pruchnie/Getty Images

Jason deCaires Taylor’s four horsemen of the apocalypse, close to Houses of Parliament, are political comment on impact of fossil fuels

At high tide, you might barely know they’re there. But as the water level of the Thames comes and goes twice a day with the tide, the four ghostly heads – and the horses they sit atop – slowly emerge fully into view.

The sculpture, entitled The Rising Tide, has been installed near the bankside of Vauxhall bridge and is the work of Jason deCaires Taylor, 41, a British artist best known for creating the world’s first underwater museum in Cancun, then again in the Bahamas.

For the past decade, Taylor’s work has been motivated by conservation and redressing climate change, with his underwater museums solely designed to draw divers away from the most fragile and delicate parts of coral reefs. His newest work in the Thames, he says, is no different in its political purpose. (...) 

http://www.theguardian.com/artanddesign/2015/sep/02/underwater-sculptures-thames-london

 
Ir mais Fundo

01/09/2015 - 20:03

 

Elaborado por um grupo de especialistas, incluindo duas cientistas portuguesas, o documento identifica oito prioridades para a investigação do mar a profundidades superiores a 200 metros. Portugal é apontado como um dos países que mais sofrem com o desinvestimento nesta área da ciência devido à crise.


Nas 225 páginas do relatório Ir mais Fundo: Desafios Cruciais da Investigação do Mar Profundo no Século XXI, um grupo de 14 especialistas faz uma avaliação ao estado actual da investigação científica e da exploração das profundezas dos oceanos e defende uma aposta no conhecimento para que a economia do mar seja sustentável, saindo assim a ganhar. Pedido pelo European Marine Board (EMB), um think tank europeu sobre política de investigação marinha, o relatório foi lançado terça-feira, 1 de Setembro, no14º Simpósio da Biologia do Mar Profundo, em Aveiro.

“É um documento sobre as implicações do crescimento da economia do mar, as oportunidades e as ameaças”, resume Marina Cunha, bióloga da Universidade de Aveiro, que está entre os 14 autores do relatório do EMB e é uma das organizadoras do simpósio internacional em Aveiro. “É um documento de cariz científico, mas que pretende dar apoio às decisões políticas sobre o mar profundo. Faz recomendações que podem ser usadas politicamente na gestão do mar profundo.” (...)

 

http://www.publico.pt/ciencia/noticia/investiguese-a-serio-o-mar-profundo-e-a-economia-azul-saira-a-ganhar-diz-relatorio-1706318


Continuar...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 361